Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No dia-a-dia profissionais da saúde usam roupas brancas para trabalhar e essa “tradição” foi criada com o intuito de visualizar com mais facilidade sujeiras e diminuir o incidente de doenças causadas por falta de assepsia.

Porém nas salas cirúrgicas o padrão fica diferente e vemos as roupas cirúrgicas nas cores verde e azul e vamos te explicar o porquê.

Você já ouviu falar da roda de cores? É uma ferramenta que possibilita a visualização de como as cores se combinam entre si. Nele, as cores azul e verde estão opostas ao vermelho e é aí que entra a explicação.

Vamos fazer um teste. Olhe fixamente para esse coração vermelho durante 15 segundos e em seguida olhe e pisque em direção a uma superfície branca.

Provavelmente você viu um coração azul esverdeado, acertei?

Como o vermelho está do lado oposto ao azul e verde na roda de cores, eles produzem uma ilusão de ótica chamada de “fantasmas de cores complementares”, e como em uma cirurgia os profissionais olham fixamente para o vermelho que é a cor do sangue, certamente se as roupas fossem brancas a ilusão de ótica iria causar desconcentração. Isso fez com que mudassem as cores das roupas dentro do centro cirúrgico a fim de que o vermelho fosse neutralizado no azul e verde.

Especialistas afirmam que o nosso cérebro interpreta as cores sempre em sua relação com as outras. Por exemplo, se olharmos por muito tempo para uma cor somente – o vermelho do sangue, no caso do médico – o seu sinal no cérebro fica “desbotado” e corre-se o risco da perda de sensibilidade com as nuances entre os tons dessa cor.

Nessa situação, o uso de cores frias, como o verde e azul, oferece uma constante atualização do cérebro, deixando-o mais sensível ao vermelho, além de proporcionar conforto na visão, melhorando assim a concentração desses verdadeiros heróis.

Muito legal, né?

Quer saber mais?